Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado anualmente em 5 de Junho.

O Dia Mundial do Meio Ambiente começou a ser comemorado em 1972, com o objetivo de promover atividades de proteção e preservação do meio ambiente, e alertar o público e governos de cada país sobre os perigos de negligenciarmos a tarefa de cuidar do mundo em que vivemos.

Foi em Estocolmo, no dia 5 de junho de 1972, que teve início a primeira das Conferências das Nações Unidas sobre o ambiente humano. A reunião durou até o dia 16 e congregou vários governos e ONG’s. Por esse motivo foi a data escolhida como Dia Mundial do Meio Ambiente.

No Brasil ainda se celebra a Semana Nacional do Meio Ambiente, como consequência da data criada pela ONU.

Temas do Dia Mundial do Meio Ambiente

Todos os anos, as Nações Unidas dão um tema diferente ao Dia Mundial do Meio Ambiente. Esta foi a forma encontrada pela ONU para dar ideias de atividades que promovam a conscientização da população para preservar o meio ambiente.

O tema para 2018 é “Acabe com a Poluição Plástica“.

Atividades para o Dia do Meio Ambiente

  • Pinte um mural sobre a natureza;
  • Ajude a limpar uma praia;
  • Faça coisas com material reciclado;
  • Plante uma árvore ou um mini jardim em sua casa;
  • Utilize materiais reciclados;
  • Comece a separar o lixo para ser reciclado;
  • Ajude a limpar um parque público.

Frases para o Dia do Meio Ambiente

  • “Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja”.
  • “É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve”. (Victor Hugo)
  • “Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome”.(Mahatma Gandhi).

    Fonte

BASE JUMP É ATRAÇÃO NA CACHOEIRA DO TABULEIRO

O Parque do Tabuleiro caminha junto com os esportes de aventura. Um dos esportes muito praticados na cachoeira é o Base Jump, que é uma modalidade na qual o base-jumper (esportista) salta de penhascos, prédios, antenas e outros, fazendo o uso de pára-quedas apropriado para abertura em baixas altitudes.

No parque, o salto ocorre do topo da nossa cachoeira, o base-jumper salta do topo, abre o para-quedas após poucos segundos e aterrisa dentro do poço principal.

Imagine quanta emoção!

 

Fonte

Cachoeira Rabo de Cavalo em Conceição do Mato Dentro

Existe coisa mais bela que explorarmos e conhecermos nossas próprias belezas naturais?

Como dizem por aí: “A grama do vizinho é mais bonita que a minha”…

Tem que ser muito ignorante para não reconhecer e não dar valor às belas imagens que vem a seguir!! Compensa viajar e conhecer Minas Gerais!

Montanhas Alterosas

 

Na rota do Sossego!

 

Mimosa pastando

 

Novo amigo

Cachoeira Rabo de Cavalo

A vida é bela

 

Conceição do Mato Dentro, uma beleza incrustada em Minas Gerais

Minas Gerais geralmente é associada a coisas boas: boa culinária, pessoas acolhedoras e destinos turísticos imperdíveis. Você pode fazer descobertas surpreendentes sobre a cultura e a história das cidadezinhas e do seu povo e o mais legal é que não importa em que época do ano você vai visitar as gerais, você sempre terá uma ótima experiência.

Na percepção de Guimarães Rosa, Minas são muitas e por isso, pode ser muito difícil você escolher qual destino conhecer primeiro. Pra te dar uma forcinha com isso, nossa sugestão é começar por Conceição do Mato Dentro! Quer saber porque? Então, vem!

A natureza exuberante

Considerada a “Capital Mineira do Ecoturismo”, Conceição do Mato Dentro está situada a 167 km da capital Belo Horizonte e está localizada também na vertente oriental da Serra do Cipó e Cordilheira do Espinhaço. Esta localização privilegiada tem como resultado uma natureza rica em diversidade e beleza.

O município tem um patrimônio natural singular com um ecossistema raro reconhecido pela Unesco como reserva da Biosfera. Um dos atrativos naturais mais visitados é a Cachoeira do Tabuleiro, considerada a queda d’água mais alta de Minas Gerais e a terceira mais alta do Brasil.

A riqueza do Patrimônio Arquitetônico

Assim como em todas as cidades que fazem parte do Circuito Estrada Real, Conceição do Mato Dentro conserva inúmeros casarões, igrejas e capelas da época do ciclo do ouro. Se você é fã do turismo histórico cultural vai enlouquecer com as calçadas originais do século 17, chafarizes e as igrejas com estilos barroco e rococó. A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição é um dos exemplos de riqueza e é uma verdadeira obra de arte.

As manifestações tradicionais

Conceição ainda é muito ligada a religiosidade e as festas tradicionais ainda tem muito do folclore local. Com influências da cultura portuguesa, africana e indígena, as festas e tradições são um espetáculo à parte para quem deseja conhecer a fundo as paixões e tradições que movem o povo de Conceição do Mato Dentro.

A deliciosa culinária local

A culinária mineira é uma das melhores do Brasil e dispensa comentários. Cada canto do estado tem uma comida típica diferenciada e com um gostinho único. Pão de queijo, goiabada, doce de leite, feijão tropeiro, arroz com pequi, frango com quiabo, bambá de couve… ufa! Poderíamos ficar aqui listando todas as delícias do estado. Em Conceição a fama é toda do queijo artesanal produzido nas fazendas e distribuído pela Cooperativa Agropecuária dos Produtores Rurais do Médio Espinhaço.

Fonte

Lançamento de Livro feito por famílias atingidas da comunidade Cabeceira do Turco e equipe Pólos de Cidadania marca Conceição do Mato Dentro

No dia 22 Mar 18, ocorreu na Fundação Casa da Cultura em Conceição do Mato Dentro, o Lançamento do Livro: “Violações de direitos e dano ao projeto de vida no contexto da mineração”, feito por famílias atingidas da comunidade Cabeceira do Turco e equipe Pólos de Cidadania, em Conceição do Mato Dentro.

O evento iniciou com apresentação de peça de teatro, feito pela Michelle Ferreira da equipe Polos de Cidadania. A peça teatral contou o histórico de luta da America Latina, frente aos poderes econômicos de elites burguesas estrangeiras que deram golpes nos anos de 1964 e 2016, em democracias instauradas mediante luta pelo povo latino-americano, não havendo mudanças significativas, desde os tempos de colonia até os dias atuais. Conclui-se que nós, povo latino-americano, continuamos sendo escravos até os dias contemporâneos, daqueles mesmos que outrora nos exploravam.

QUE PEÇA FANTÁSTICA! Parabéns pelo Dom artístico Michelle!

Após a peça teatral houve o lançamento do livro, propriamente dito, onde conta a história dos atingidos, bem como os relatos de danos ocasionados pela mineração na cidade, sendo a distribuição do livro gratuita. Houve discursos dos atingidos pelo projeto Minas-Rio, que, emocionados,  agradeceram pela força e apoio de todos os envolvidos, particularmente ao Programa Polos de Cidadania.

Ao término do evento, contamos com a presença do Dr. Helder Magno, do Ministério Público Federal, que reforçou a luta e empenho de todos aqueles que sofrem com a situação atual, de forma a corrigir os estragos ocasionados pela mineração na cidade. Dr. Helder também ressaltou que o Ministério Público Federal está atento a todas as questões suscitadas e envolvidas pelo Projeto Minas-Rio.

Quero agradecer a todos aqueles, que com fibra e energia, lutam por maior igualdade e justiça no Brasil e no Mundo. Parabéns a todos!

Aproveitar a oportunidade e falar para os Conceicionenses lerem o livro, somente com o conhecimento de causa que saberão os motivos das adversidades.

APÓS LIBERAÇÃO DO “STEP 3” CIDADÃOS CONCEICIONENSES EXIGEM EMPREGO DA ANGLO AMERICAN

População exige empregos da Anglo American, após liberação do Step 3

Após muitos sinais de insatisfação em relação ao trato que a empresa Barbosa Mello estava tendo com a população conceicionense, no dia 12 do corrente mês, houve manifestação dos próprios cidadãos, no intuito de reivindicar empregos das empresas.

Os manifestantes fecharam a rodovia MG-010 na altura da Pousada do Lago, às 04:00h e desde então, não passaram veículos de terceirizadas e da própria Anglo American sentido a mina. Os veículos civis podiam passar livremente pelos manifestantes, contudo, dado certo momento, os ônibus e vans das empresas UNIMAR e UNIVALE congestionaram a rodovia, ficando difícil a passagem até mesmo dos veículos civis.

A manifestação foi uma aula de democracia, sendo por todo o momento pacífica. Todos os líderes e manifestantes presentes eram pessoas humildes, simplórias, que anteriormente haviam apoiado a liberação da expansão da mina, mas agora, desempregados, exigiam trabalho digno, para o sustento de suas famílias. Alguns líderes afirmaram a Policiais Militares e representantes da empresa que não queriam ter que roubar para alimentar-se, já que a empresa não estava empregando a própria população de Conceição do Mato Dentro.

Lembro que durante a manifestação, os líderes do movimento explicavam para os colaboradores da empresa e todos os civis que passavam sobre o motivo pelo qual estavam realizando o ato e praticamente todos os envolvidos concordaram com a causa dos manifestantes, que, através do Ten. RAUL, foi muito importante para o desfecho positivo da manifestação. Por diversos momentos, o oficial PM conversou amigavelmente com os manifestantes, gerando sentimento recíproco de satisfação entre todos os atores envolvidos. Quero deixar aqui meus sinceros agradecimentos à atuação da Polícia Militar na manifestação, afinal de contas, quando tem que criticar a gente critica, quando é para elogiar a gente elogia.

Ocorreu então o diálogo entre representantes da empresa Anglo American e manifestantes, sendo proposta reunião posterior para discutir o cadastramento de todos os envolvidos, acontecendo à liberação da via pelos manifestantes. Cabe destacar que, durante toda a manifestação não houve registros de agressão, tumulto, baderna, sendo totalmente pacífica. Seguem abaixo fotos representativas que elucidam uma manifestação democrática e pacífica:

Após ter cumprido o objetivo, os manifestantes rumaram a pé para a prefeitura municipal de Conceição do Mato Dentro, visando solicitar esclarecimentos e cobrar apoio frente às situações expostas. Após longo tempo de espera, fomos recebidos pela Sra. Ivete Otoni, vice-prefeita municipal, onde afirmou que haverá maior efetividade na fiscalização da contratação de empresas responsáveis, quanto à prioridade na mão de obra local.

As 13:30h houve reunião na sede da empresa Anglo American, envolvendo colaboradores da própria empresa, da Barbosa Mello, manifestantes desempregados e o acompanhamento do poder executivo municipal, através da Sra. Ivete Otoni. A reunião foi produtiva, sendo explicado todo o contexto que culminou na manifestação. Os representantes da Anglo American afirmaram que farão de tudo para empregar os cidadãos, mas que não garantia a empregabilidade de todos envolvidos. Os manifestantes deixaram claro que se a empresa não cumprir com a palavra, eles irão bloquearão novamente a estrada. Ao término da reunião foi realizado o cadastramento de todos os manifestantes.

Quero deixar aqui meus sinceros agradecimentos a todos os envolvidos, em especial aos senhores (as) Jonas Campos, Alessandro, Leonardo, Rejane, Daiane, Nayara e Laudicéia, que juntos, puderam cumprir todos os objetivos possíveis frente a diversas situações complicadas.

Quero deixar também meu repúdio à ausência do poder público na manifestação.

Aos Sres. Vereadores, os senhores são representantes do povo, não o contrário!

Poço Pari

É a partir do encontro dos cursos d’água do Rio Preto e Córrego Grande, no distrito de Tabuleiro, que se forma o Poço Pari: uma piscina natural de aproximadamente 200m2 cuja água apresenta tonalidade caramelo escuro. Ao seu redor, a presença de mata ciliar e uma pequena praia fluvial de pedras brancas e areia que contrastam com a cor da água. Além da Cachoeira do Tabuleiro, o poço também é um dos principais pontos turísticos visitados na região.

O local é de propriedade particular, administrado por uma família residente no final da estrada de acesso ao atrativo. É cobrada dos turistas uma taxa pela área de estacionamento, que fica próxima à trilha de acesso e à residência dos proprietários e em certas épocas uma taxa de entrada.

Como chegar: Distante 19 km da cidade, o atrativo está localizado a cerca de 400m do centro do distrito de Tabuleiro.

Fonte

Cachoeira do Zé Cornicha

A cachoeira do Zé Cornicha está localizada em um afluente do Rio Preto, próximo à entrada do Boqueirão ou Canyon do Rio Preto. Também está inserida nas Unidades de Conservação (UC) do Parque Estadual da Serra do Intendente.

Formada a partir de grandes paredões rochosos, de aproximadamente 90m de altura, constitui-se de uma queda principal, com cerca de 60m, e com volume de água pequeno. O poço formado pela queda d’água possui aproximadamente 30m2 e profundidade de 1,5 a 2m. A água é bastante fria, com tonalidade marrom claro, chegando a ser transparente. Por estar próxima a todo um conjunto de atrativos, é também uma das mais visitadas da região. De frente ao poço, existem grandes lajes (lapas), entremeadas por pequenos arbustos. A vegetação do entorno é rica e variada, com destaque para as bromélias gigantes e sempre-vivas.

 

Como chegar: O acesso pode ser feito partindo do povoado de Tabuleiro, seguindo a estrada em direção ao Poço Pari. Quando chegar à bifurcação que leva ao poço, prosseguir pela estrada de rodagem, à direita. Passar por duas cancelas (ou porteiras), pelo cemitério e um riacho. Assim que passar por este riacho, mantenha-se ainda pela esquerda, até atravessar o Rio Preto. Seguir por uma trilha na margem esquerda (rio acima) até chegar ao riacho onde está localizada a cachoeira. A caminhada é de aproximadamente 1 hora.

 

Fonte

ANGLO AMERICAN CONSEGUE O STEP 3, MAS E OS ATINGIDOS?


Licença para Step 3 sai, mas comunidades atingidas ainda continuam sofrendo com o descaso da mineradora e do Estado

No dia 26 do corrente mês, a empresa Anglo American conseguiu a licença para iniciar as obras de expansão da mina, ampliando a extração de minério nas cidades de Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas.

Agora, a empresa pretende amplificar a extração de minério, dos atuais 16 milhões de toneladas por ano para 26,5 milhões. No auge das obras, que tem duração esperada de quatro anos, estima-se a geração de cerca de 800 postos de trabalho. A empresa promete que o projeto trará, em torno de R$ 1 bilhão em investimentos.

Mas e as condicionantes, que até o momento não foram cumpridas? E as comunidades do entorno do empreendimento minerário, como ficam?


Mesa de conselheiros

Durante a reunião do dia 26, pôde-se perceber os argumentos lógicos e consistentes, trazidos pela conselheira do COPAM Maria Teresa, representante do Fórum Nacional da Sociedade Civil nos Comitês de Bacias Hidrográficas (FONASC), que visou defender os atingidos pelo projeto Minas-Rio.

A conselheira apresentou argumentos coerentes, bem embasados, expondo a situação atual dos atingidos, mas o presidente da mesa, juntamente com seus assessores “técnicos” rebateram com argumentos inconsistentes, muitas vezes conflitantes. Chegou-se ao ponto da conselheira afirmar que havia diversos fatos novos, após as reuniões entre o Ministério Público, empresa e Estado e mesmo assim, teve seu pedido negado pelo assessor, que apresentou justificativas evasivas.

A conselheira perguntou aos representantes do Ministério Público, quais seriam as irregularidades, constatadas no processo, e que não haviam sido resolvidas por meio de condicionantes, estando relacionadas a aspectos de viabilidade ambiental. A representante do Ministério Público afirmou que eram várias e, portanto, impossível de transmiti-las naquele momento.


Discurso conselheira Maria Teresa

Mas se são várias as irregularidades, porque então a parceria entre Estado e empresa? Porque não são sanadas as irregularidades, antes de serem concedidas licenças?

O representante do programa Polos de Cidadania, Sr. Lucas Furiati foi direto ao ponto: Porque estão querendo criar assessorias técnicas? Por que o Estado não impõe um reassentamento justo e digno?


Discurso Sra. Darcília, atingida pelo projeto Minas-Rio

“Não somos contra a mineração, só queremos ser reconhecidos como atingidos e sermos reassentados”.  Foi o que disseram todos os atingidos, em discursos comoventes, direcionados àqueles que estão com a caneta na mão. Ressalto que muitos dos atingidos não compareceram à reunião, com medo de serem retaliados pelos próprios conceicionenses.


À Anglo American: Porque não reassentam essas pessoas e encerram a guerra? Seria tolice fazer o certo? A quem interessa a criação de assessorias técnicas?


Promotores Luís Gustavo, Marcelo Mata e Andressa Lanchotti

Quero cumprimentar a todos aqueles que lutam, dia a dia, por uma sociedade mais justa e igualitária, em especial a Sra. Maria Teresa, que foi uma guerreira solitária! Parabéns pelos sábios pronunciamentos e que consigamos, um dia, fazer jus ao seu empenho incansável.

Conceição dividida abre portas para manifestações


Conceição do Mato Dentro já foi uma cidade pacata, onde as pessoas
desfrutavam do bom relacionamento de conversas amistosas e corriqueiras,
em clima agradável e equilibrado com a natureza local. Contudo, desde a
chegada da mineração na cidade, este clima mudou drasticamente.

Às vésperas do licenciamento do Step 03, a cidade vem se dividindo e
apresentando conflitos, onde as duas partes (moradores conceicionenses e
atingidos) estão certas por requererem seus direitos, que, somente a
mineradora poderá oferecê-los, através de acordo com o Governo do Estado
no dia 26 de Janeiro de 2018.

Uma parte quer lutar por mais empregos, maior qualidade de vida e
crescimento econômico na cidade, sim, é justo! A outra parte quer que a
mineradora cumpra suas promessas e condicionantes, além de ter seus
direitos legalmente reconhecidos. Ora, antes da empresa chegar à cidade, a
população já estava lá, seria injusto não reconhecer que são atingidos. Então,
já que todos estão certos, porque então o clima de desunião que a cidade
vive?

Sinceramente, acho que todos os envolvidos deveriam se unir em um bem
comum, é isso mesmo, neste caso, tem como agradar “gregos e troianos”.
Mas, para que isso ocorra, os poderes executivo e legislativo municipal tem que se
coçar e tentar apaziguar essa situação de forma imparcial, afinal de contas, os
atingidos não querem pagar com sangue, a progressão econômica na cidade.

O recado está dado. Torço para que nosso município aja com prudência e
saiba lidar com as manifestações, prós e contras à liberação ambiental, de modo a resolver para não
virar uma “bola de neve”, conscientizando os envolvidos sobre o respeito ao
próximo, acima de tudo.