Contagem regressiva para reabertura da Cachoeira mais bela do Brasil!

No dia 08 de Dezembro de 2017, será reaberto o acesso à Cachoeira mais bela do Brasil, a Cachoeira do Tabuleiro, localizada no município de Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais.

As vias de acesso às trilhas dos Poços das Cachoeiras do Tabuleiro e Rabo de Cavalo, foram otimizadas visando acessibilidade e segurança do percurso até as cachoeiras.

Vale lembrar que o turismo na região passou por período complicado, agravado pelo fechamento para as obras de sua principal cachoeira. Contudo, está nítido o esforço de profissionais para melhorar e investir nas vastas camadas turísticas da região e assim, fazer jus ao merecido título de capital mineira do Ecoturismo!

No entanto, pude perceber que, enquanto ocorriam as obras o empresariado da cidade aproveitou para se capacitar e aperfeiçoar, através da realização de cursos técnicos que ajudarão no recebimento dos turistas na região. Destaco ainda, o abençoado volume de chuvas que a região tem recebido nos últimos dias, recuperando os níveis dos cursos d’água, além da paisagem que está cada vez mais verde.

Será um marco histórico para o desenvolvimento turístico de Conceição do Mato Dentro, além de ser um grande presente para a cidade, que completará no mesmo dia da reabertura seus 315 anos!

Aproveito este momento para agradecer nosso parceiro Montanha Aventuras, que, através do meu amigo Pedro Esteves, convida a todos para visitar esta maravilha de Minas Gerais.

Parabéns aos envolvidos! Viva o Ecoturismo! Parabéns Conceição do Mato Dentro!

Cachoeira Três Barras, Conceição do Mato Dentro

Localizada próximo ao Povoado de Três Barras, daí a origem do nome, essa cachoeira tem altura aproximada de 13m. Incrustada num paredão de 40m de extensão, forma um grande poço, propício a mergulhos, evitando-se os blocos de pedras existentes em suas bordas. A parte de cima da queda d`água apresenta um poço comprido, formado pelo alargamento do rio Cubas e com águas muito tranquilas. A queda tem uma calha central onde passa grande volume de água.

Algumas grandes pedras deslocadas no período de sua formação ainda se encontram dentro do poço, formando pequenos espaços de recreação. A vegetação do entorno é alta e densa. Devido ao grande volume de água, ao poço e à sua relativa proximidade com a cidade, é um dos principais atrativos turísticos do município, atraindo visitantes em praticamente todas as épocas do ano.

O paredão da Cachoeira das Três Barras em Conceição do Mato Dentro também é muito procurado por escaladores e praticantes de rappel (canyoning) e, por isso mesmo, tem uma grande visitação, inclusive dos próprios conceicionenses. A cachoeira fica em uma fazenda particular, mas a visitação é permitida e gratuita.

 

Fonte

Top 7 cachoeiras em Minas Gerais para visitar

Conhecido por seu mar de montanhas, o estado de Minas Gerais preserva muitas riquezas naturais, sendo o lar de parques ecológicos, espécies ameaçadas de extinção, rios e cachoeiras. E se o mineiro não tem praia por perto, o jeito é aproveitar as cachoeiras espalhadas por todo o estado! Selecionamos algumas das mais belas cachoeiras em Minas Gerais para você planejar a sua próxima viagem. Confira!

Cachoeira do Tabuleiro — Conceição do Mato Dentro

A primeira cachoeira da lista é a mais alta de Minas Gerais e a terceira maior do Brasil. São 273 metros de queda d’água em uma vista de tirar o fôlego. A cachoeira forma um poço com cerca de vinte metros de profundidade, mas há partes mais rasas que são adequadas para banho.

A apenas 190 km da capital Belo Horizonte, a Cachoeira do Tabuleiro fica no Parque Municipal Ribeirão do Campo. A visitação pode ser feita pela parte alta ou pela parte baixa — pela parte baixa, a caminhada é de 3,5 km a partir da portaria do parque. Para visitar a parte alta, é preciso estar com o preparo físico em dia para encarar cerca de sete horas de caminhada (ida e volta). Funciona diariamente das 7h às 16h e a entrada custa R$ 10.

Cachoeira Casca D’Anta — Serra da Canastra

Considerada uma das principais atrações da Serra da Canastra, a cachoeira Casca D’Anta é uma das cinco maiores do Brasil e, com a sua majestosa queda livre de 186 metros de altura, atrai turistas de diversos lugares do país. Por ser uma queda d’água muito forte, o poço principal não é recomendado para banho. Mesmo assim, a Casca D’Anta é parada obrigatória para quem vai à Serra da Canastra!

O acesso é pela Portaria 4 do Parque Nacional Serra da Canastra, localizada em São José do Barreiro. O carro fica no estacionamento e a caminhada é curta, de apenas 1,7 km. Também há um acesso pela portaria 1, em São Roque de Minas, na parte alta do parque. Nesse caso, a trilha é íngreme e tem mais de 3 km de extensão. Funciona diariamente das 8h às 16h e a entrada custa R$ 9.

Cachoeira da Zilda — Carrancas

A Cachoeira da Zilda é a principal atração do complexo que leva o mesmo nome. É preciso atravessar um rio e percorrer uma trilha por 15 minutos para chegar à queda das águas, que formam um poço e uma prainha. No espaço há ainda outras cachoeiras e um escorregador natural de 10 metros. Curiosidade: a Rede Globo aproveitou a beleza da cachoeira como cenário da novela Império. A entrada custa R$ 3.

Cachoeira Alta — Ipoema 

A Cachoeira Alta tem uma queda d’água imponente, que despenca de nada menos do que 110 m de altura. Considerada uma das quedas d’água mais bonitas de Minas Gerais, a cachoeira Alta é muito procurada por banhistas e por praticantes de rapel. O acesso é fácil, a 95 km de Belo Horizonte. A cachoeira fica em propriedade particular, a 11km da cidade de Itabira, e a entrada custa R$10.

 

Cachoeira do Chuvisco — Santo Antônio do Rio Abaixo

A 170 km da capital mineira, a Cachoeira do Chuvisco é uma bela queda d’água que conta com uma passagem por dentro da queda, que possibilita ir de um lado ao outro da margem. A estrutura da cidade é simples e o acesso é fácil e sinalizado. A cachoeira fica a cerca de 7 km da cidade, um trajeto que pode ser feito de carro.

Cachoeira do Moinho – Milho Verde

A apenas 3 km de Milho Verde, distrito do Serro, está a Cachoeira Moinho, de 25 metros, que tem poços para banho. Mais à frente, duas quedas formam o Rio Jequitinhonha.

Cachoeira Grande – Serra do Cipó

Apesar de não ser muito alta, com nove metros, a Cachoeira Grande arranca suspiros por sua extensão, de 50 metros. No complexo ainda tem as cachoeiras do Tomé, da Chica e Lajeado. O acesso é fácil e a quantidade de visitantes é limitada, por isso vale a pena visitar o local ainda pela manhã, principalmente entre dezembro e janeiro, quando a frequência é maior. Funciona diariamente das 8h às 17h e a entrada custa R$ 30.