Uma joia do barroco mineiro

Restauração da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, destaca valor cultural de Minas

Restauro. Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, data do século 18

Conceição do Mato Dentro. Um processo de restauração assemelha-se ao de um garimpo. No garimpo, é preciso paciência, cuidado e atenção na busca por pedras preciosas. No caso do restauro, a mesma tríade é fundamental no trabalho de recuperação da obra original. Apesar de moroso, o resultado é compensatório. Encontrar os primeiros desenhos do forro de uma igreja datada de 1723, do início do século XVIII, por exemplo, é o mesmo que achar ouro ao fim da escavação.

Foi essa a sensação da equipe que restaurou a sacristia da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, na região Central do Estado. Importante símbolo do barroco mineiro, a igreja estava fechada desde 2004. Em cerimônia realizada na cidade, na terça-feira (7), a estrutura foi entregue. O trabalho é fruto de uma parceria entre a prefeitura, a paróquia e a mineradora Anglo American, responsável pela maior parte do investimento.

Depois de cinco anos de restauração, elementos artísticos como o altar do Senhor do Bonfim, pinturas, esquadrias e forro da sacristia foram recuperados. “A gente teve surpresas. Encontramos, no geral, três repinturas. No forro da capela-mor, por exemplo, encontramos uma Nossa Senhora da Conceição muito linda quando começamos a remoção da figura do Espírito Santo. Mas achamos estranho porque o estilo dela é rococó. Então, descobrimos que as partes escuras, que achávamos que era madeira, era, na verdade, uma imagem da assunção de Nossa Senhora, que é barroca”, revela Dulce Senra, restauradora e proprietária da Cantaria Restauro, empresa responsável pelos trabalhos de restauração da matriz.

A restauração da sacristia foi a segunda etapa do processo de reforma da igreja. Antes dela, foi restaurado um relógio inglês bicentenário, que também integra o santuário. Em agosto, o relógio, que estava parado desde 2006, voltou a funcionar, acionando o sino que toca a cada meia-hora. “A comunidade pôde voltar a fazer suas atividades em função do badalo do relógio. Muitas pessoas me param na rua para relatar a emoção de ouvi-lo. O trabalho em cima do relógio foi de 60 dias, e um especialista restaurou todo o maquinário”, conta Alexandre Leal, coordenador de projetos e obras da Anglo American e responsável pelo processo de restauração da igreja.

Com a sacristia e o relógio prontos, agora estão em processo de restauração o altar-mor, o arco do Cruzeiro e os outros dois altares laterais. A previsão é de que o trabalho seja concluído até o fim de 2018, quando a igreja finalmente será aberta para visitação.

Investimento. Inicialmente, estavam previstos para ser gastos na restauração da igreja R$ 4 milhões. Com o andamento das obras, no entanto, esse recurso precisou ser aumentado para R$ 8,5 milhões. Até agora, as obras consumiram cerca de metade do recurso disponibilizado pela Anglo American.

Estiveram presentes na solenidade o secretário de Cultura do Estado, Ângelo Oswaldo – que nasceu em Conceição do Mato Dentro –, o prefeito da cidade, José Aparecido de Oliveira, o padre da matriz, João Evangelista, o bispo dom Geremias, o presidente da Anglo American, Ruben Fernandes, e a presidente do Iphan, Célia Corsino.

A jornalista viajou a convite da Anglo American

Fonte “Jornal O Tempo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *